Segunda a Sexta-feira, das 8h às 19h | Sábado: consulte horários

11 94550-9674

Um inimigo chamado Aedes Aegypti!

Um inimigo chamado Aedes Aegypti!

Nessa época do verão precisamos nos preocupar com o Aedes aegypti, esse mosquitinho tem dado o que falar nos noticiários e tem gerado muitas dúvidas e preocupações. Vou tentar esclarecer as dúvidas mais frequentes que pairam sobre o mosquito e os vírus da Dengue e Zika.

  • O que é Aedes aegypti?

O Aedes aegypti é um tipo de mosquito popularmente conhecido como mosquito da dengue ou pernilongo rajado. É proveniente da África e atualmente distribuído por todo o mundo, frequentemente encontrado em regiões tropicais e sub-tropicais. Hoje bem adaptado a zonas urbanas, consegue reproduzir-se pondo seus ovos em pequenas quantidades de água limpa que preferivelmente estejam paradas e sombreadas. A fêmea é ativa e pica durante o dia, mede menos de 1cm, é preta com manchas brancas no corpo e nas pernas. Seus ovos são extremamente resistentes, podendo sobreviver vários meses até que a chegada da água propicie a incubação.

 

  • O que é Dengue?

O ciclo de transmissão da dengue se inicia quando o Aedes aegypti pica uma pessoa infectada. O vírus se multiplica e chega às glândulas salivares do mosquito. Uma vez infectado, o mosquito é capaz de transmitir o vírus enquanto viver. Após a picada do mosquito, inicia-se a disseminação do vírus no organismo humano. Os primeiros sintomas surgem após um período de incubação que pode variar de 2 a 10 dias. A doença se inicia semelhante a uma gripe, com sintomas que surgem de forma abrupta: febre, dor de cabeça (principalmente na area atrás dos olhos), dores nas costas, músculos, pernas e articulações, corrimento nasal, perda do apetite, náuseas, dores na movimentação dos olhos e cansaço profundo. Pode também surgir vermelhidão na face e no corpo (exceto palmas das mãos e plantas dos pés). A doença vai embora após 5 a 7 dias de sintomas.

 

  • O que é Zika?

Zika é uma doença que pode ser assintomática e, em geral, tem manifestação semelhante e mais branda do que a dengue. Os sintomas mais frequentes são febre, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, diarréia, náuseas e mal-estar. A vermelhidão da pele acompanhada de coceira pode acometer o rosto, tronco e os membros incluindo palmas das mãos e plantas dos pés. A incubação varia de 3 a 12 dias após a picada e o quadro é auto-limitado, o organismo se encarrega de eliminar o vírus.

Uma curiosidade à respeito da transmissão do vírus é que raramente ela ocorre em temperaturas menores que 16º C, enquanto a temperatura mais propícia é em torno de 30º e 32º C. Isso explica o seu melhor desenvolvimento nas regiões tropicais e subtropicais.

 

  • E o Zika na gravidez?

A OMS (Organização Mundial de Saúde) já reconhece a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia, o problema é a pequena experiência e o pouco conhecimento que temos até o momento. Muitos estudos estão em desenvolvimento para entender os reais riscos ao binômio materno-fetal de acordo com as semanas de gestação. Ainda não temos muitas respostas mas certamente sabemos que o alerta de prevenção é essencial.

 

  • Já existe vacina para a Dengue e o Zika?

No segundo semestre de 2016 foi lançada no mercado uma vacina contra a Dengue disponível em clínicas particulares para adultos até 45 anos. A imunização completa consiste em 3 doses com intervalos de 6 meses entre cada. A vacina é contra-indicada para gestantes, mulheres amamentando e imunodeprimidos e sua taxa de resposta na prevenção pode variar de 40-60%. Novas vacinas continuam em estudo e em 2018 devemos ter mais novidades no mercado. Com relação ao Zika ainda estamos mais atrás, não há previsão de lançamento de nenhuma vacina que proteja contra o vírus.

 

  • Gestantes poderão se vacinar contra a Dengue?

Não. A nova vacina é contra-indicada para gestantes, mulheres amamentando e imunodeprimidos.
Sendo assim, nosso maior esforço deve ser na prevenção das doenças e no acompanhamento médico ao menor sinal de dúvidas. Gestantes devem seguir no Pré-Natal fazendo todos os exames preventivos e se informando sobre todas as novas descobertas que surgirem sobre o Zika.

 

  • Como fazer para se prevenir?

A melhor e mais eficaz forma de erradicar as duas doenças é com o combate ao mosquito Aedes aegypti. Eliminar focos de água parada em casa, no quintal e no trabalho reduzem as chances de proliferação do mosquito e, em consequência, o risco de contaminação. Mas, além de atuar no vetor, também devemos nos preocupar com a prevenção individual afastando a chance de picadas pelo mosquito.

 

  • Além dos cuidados com a casa, como posso prevenir minha família?

Existem grandes aliados que podemos, e devemos, utilizar como armas na prevenção das doenças:

-Prefira sempre roupas claras, o mosquito se camufla nos tecidos escuros.

-Evite hidratantes e perfumes em geral, eles são atrativos aos mosquitos.

-Escolha roupas mais longas e com mangas, evite a exposição da pele ao mosquito.

-Instale telas contra-mosquitos ou mosquiteiros nas janelas e ao redor da cama ou berço.

-Repelentes devem ser aplicados em toda a pele exposta, respeitando o intervalo de reaplicação de cada marca.

-O repelente pode ser tóxico se aplicado mais do que 3 vezes ao dia, não abuse.

-Tipos de repelentes, qual escolher?

Os 3 princípios ativos da tabela abaixo são de uso seguro e aprovado pela Anvisa em gestantes, verifique o tempo de duração de cada marca.

 

repelente

 

  • Como aplicar os repelentes?

– Evite o uso próximo a mucosas (boca, nariz e olhos) ou na pele machucada.

– Para uso na face, aplique primeiro o produto nas mãos e então espalhe pelo rosto com cuidado.

– O repelente não deve ser aplicado em áreas cobertas pelas roupas, apenas em áreas expostas.

– Nunca durma com o produto no corpo, remova antes de dormir.

– Lave as mãos após aplicá-lo no corpo.

– Se for usar filtro solar ou maquiagem, aplique o repelente após. Aguarde até 15 minutos para a absorção completa do filtro. O repelente é sempre o último produto a ser aplicado.

 

  • Inseticidas spray e de tomada são seguros para gestantes?

Um estudo espanhol mostra que a exposição da grávida ao inseticida pode ser prejudicial ao crescimento fetal e provocar distúrbios neurológicos. Por isso as futuras mamães devem sempre preferir produtos naturais como a citronela. Evite ao máximo o uso de plugs de tomada inseticidas e, caso seja necessário o uso do spray, peça para outra pessoa aplicar e mantenha o ambiente arejado.

 

Espero ter ajudado a esclarecer parte das centenas de dúvidas que circundam o tema. Vamos nos prevenir e combater o mosquito cada vez mais!

foto_dra_naira

 

Dra. Naira Scartezzini Senna

Médica especialista em Ginecologia-Endócrina, Climatério, HPV e Infanto-Puberal
CRM 131412

Rua Vergueiro, 3558 – Sala 1206 – Vila Mariana  – São Paulo – SP

Tel.: (11) 9.6141-1000

contato@dranaira.com.br

www.dranaira.com.br

 

 

logomarca_padrao_baixa (1)logo-horizotal-rgb

No Comments

Post a Comment